domingo , 19 agosto 2018
Início » História » Qual foi o primeiro presidente do Brasil ?

Qual foi o primeiro presidente do Brasil ?

Qual foi o primeiro presidente do Brasil ?

primeiro presidente do Brasil

No longínquo ano de 1889 o Brasil passou por um conjunto de transformações que culminaram na queda da Monarquia brasileira regida pelo imperador D Pedro II.
Todo esse processo resultou no exilio da família imperial que retornou para Europa com metade do tesouro nacional e um prestígio em ruínas.
O primeiro presidente do Brasil contava com um enorme prestígio do imperador D Pedro II, o seu nome, Marechal Deodoro da Fonseca.

Nascimento

Manuel Deodoro da Fonseca, também conhecido por (Marechal Deodoro da Fonseca) nasceu no pequeno município de Alagoas da lagoa Sul no dia 5 de agosto de 1827.

Carreira Militar

Antes de ser o primeiro presidente do Brasil, Marechal Deodoro da Fonseca empenhou uma bem-sucedida carreira militar, já no ano de 1843 entrou no curso de artilharia da escola militar do Rio de Janeiro, ao finalizar o curso em 1847 participou de campanhas militares durante a regência imperial, entre as mais destacadas estão: Revolução Praieira, Cerco de Montevideo e a Guerra do Paraguai.

O Começo na política

A sua carreira política iniciou no já distante ano de 1885 quando se tornou vice-presidente da Presidência da província de São Pedro do Rio Grande do Sul, um ano depois com a renúncia do Presidente Barão de Lucena, Deodoro da Fonseca assumiu a presidência do Rio Grande.
A sua presidência a não durou muito tempo, ao participar de diversos levantes que podemos diluir na nomenclatura histórica conhecida por “Questão militar”, retornou para o Rio de Janeiro, mas o seu prestígio com o Imperador D Pedro II, bem como a sua até então lealdade ao regime monárquico o fez assumir mais uma vez um cargo de importância, dessa vez foi nomeado comandante militar da província do Mato Grosso.

primeiro presidente do Brasil

O Golpe Militar e a proclamação da República

No ano de 1988 foi promulgada a Lei de n°3.353, sancionada em 13 de maio pela princesa Isabel, sua aplicação imediata em território brasileiro, desencadeou uma crise sem precedentes do império com a aristocracia que vivia do trabalho escravo, dentre esses, muitos militares que contavam com grande prestígio entre as classes mais abastadas devido a campanha bem-sucedida na Guerra do Paraguai.
Embora a crise institucional estivesse no seu auge, o povo brasileiro estava muito alheio as questões nacionais, e muitos até nutriam uma simpatia pelo imperador D Pedro II, as causas republicanas não eram bem quistas diante da pacata população brasileira da época, o que não impediu a tomada do poder em 15 de novembro de 1889. Marechal Deodoro era em essência um homem monarquista, mas a sua decisão de afastar a família imperial da chefia de estado se deu por conta de uma mentira criada por Benjamin Constant que se aproximou de Deodoro para a legitimação do golpe, a princípio, Deodoro da Fonseca rejeitou as tentativas do levante republicano. É claro que Constant, Bocaiuva, Floriano Peixoto, Campos Sales e outras figuras engajadas no golpe conseguiram o seu intento com uma infame intriga sem nenhum fundamento, a mentira foi orquestrada na madrugada do dia 14 de novembro de 1889, baseada em uma suposta ordem de prisão expedida pelo imperador Dom Pedro II ao Marechal Deodoro da Fonseca, com a ameaça de destituição de todo o seu gabinete e com um agravante do seu grande desafeto, Gaspar Silveira Martins o substituiria em seu cargo de Marechal. Na manhã do dia 15 de novembro de 1889 destituiu todo o gabinete do Visconde de ouro preto e rumou ao centro da Cidade e proclamou em ato solene a republica provisória do Brasil.

Na Presidência do Brasil

Deodoro da Fonseca promoveu algumas reformas, dentre elas: Um novo código penal, eleições gerais, novas leis de comércio e uma constituição republicana, embora tenha sido o principal artífice nessa nova história do Brasil, os republicanos consideraram fundamental que o Presidente do Brasil fosse eleito pelo parlamento, e assim foi feito, Deodoro da Fonseca ganhou de Prudente de Morais e legitimou o seu governo que durou até novembro de 1891 quando abdicou do cargo devido a intensas crises políticas e uma perturbadora ameaça de bombardeio ao Rio de Janeiro por parte do almirante Custódio de Melo.

Falecimento

O Marechal Deodoro da Fonseca, faleceu no Rio de Janeiro no ano de 1892 aos 65 anos de idade, ainda em seu leito de morte pediu para ser enterrado em trajes civis, o que não foi atendido pelas forças armadas, foi enterrado com todas as honras de um estadista. O dia 15 de novembro de 1889 marca um feriado nacional importante, data essa que ficará marcada para sempre na história do Brasil.

 

Veja também: Qual era o papel dos edifícios das igrejas na idade média?

Compartilhe nas redes sociais:

Veja Também

O que são fontes históricas

O que são fontes históricas?

O que são fontes históricas? São os documentos, as “fontes” que o historiador utiliza para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *